ESTUDANTES PREMIADOS NA 20ª OLIMPÍADA BRASILEIRA DE ASTRONOMIA E ASTRONÁUTICA SÃO HOMENAGEADOS NA CORRIDA POÇO A POÇO

Publicado em: 27 nov 2017

Ainda em comemoração aos 64 anos de Emancipação Política, na manhã deste domingo, 26, o Governo do Município de Poço Verde, fez a entrega de medalhas e certificados aos estudantes reconhecidos da 20º Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astrologia: ‘Cainã Doria Ferreira dos Santos’ e ‘Yves Adriel Fonseca Oliveira’, ambos do Colégio Estadual Professor João de Oliveira.

Coube ao professor Roberto a explicação e reconhecimento. “A prova é aplicada em 13 mil escolas para alunos de todos os anos dos ensinos fundamental e médio. O exame possui 10 questões de raciocínio lógico ligadas à astronomia e astronáutica. Então, Cainã e Ives, representa Poço Verde e estão de parabéns”, disse Roberto, fazendo a entrega dos certificados e medalhas aos participantes da competição, os quais concorreram a 40 mil medalhas.

Ainda de acordo com o professor Roberto é muito importante a valorização e inovação cientifica, visto que, sempre há um interesse natural dos estudantes em conteúdo de astronomia e astronáutica, saber como funciona o universo, as estrelas, o planeta.

Para o prefeito Iggor Oliveira, quando o aluno participa e recebe uma medalha, ele pode se destacar entre os milhões de estudantes do País e enriquecer seu currículo, elevando nesse caso, o nome da cidade de Poço Verde.

“Agradeço a todos os professores que já tive, que acreditaram em mim e me disponibilizaram conhecimento suficiente para a realização de tal virtude. Para os que acreditam na frase “o céu é o limite” estou aqui, junto com Yves Adriel para provar que nosso limite é bem acima da atmosfera”, disse Cainã.

OBA
Em 20 anos, a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica já superou os 8 milhões de participantes. Em 2016, foram quase 745 mil estudantes de 7,9 mil escolas participantes e a colaboração de 64 mil professores.

Anualmente, podem participar todos os estudantes dos níveis fundamental e médio do País, regularmente matriculados. Não há restrição quanto ao número mínimo ou máximo de alunos participantes por escola. Se a escola onde o aluno estuda não estiver cadastrada para participar da OBA, o estudante interessado poderá recorrer a outra escola cadastrada.

A competição é coordenada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Compartilhe isso: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn